O GRANDE MISSIONÁRIO

Como as demais criaturas terrenas, o grande missionário de Lião, que se chamou Hippolyte Rivail, ou Allan Kardec, foi catalogado, em 3 de outubro de 1804, nas estatísticas humanas,retomando um organismo de carne para cumprimento de sua maravilhosa tarefa.

Cento e trinta e dois anos (*) são passados sobre o acontecido e o apóstolo francês é lembrado, carinhosamente, na memória dos homens.

Professor dedicado ao seu grandioso ideal de edificar as almas, discípulo eminente de Pestalozzi, Allan Kardec trazia, desde o início de sua mocidade, a paixão pelas utilidades das coisas do espírito.

Suas obras didáticas estão cheias de amor a esse apostolado. Até depois de 50 anos, sua  palavra confortadora e sábia dirigiu-se às escolas, seus fosfatos foram consumidos nos mais nobres labores do intelecto, em favor da formação da juventude; suas mãos de benfeitor edificaram o espírito da infância e da mocidade de sua pátria. Sua vida de homem está repleta de grandes renúncias e sublimes dedicações. Nunca os insultos e as ações dos traidores lhe entibiaram o ânimo de soldado do bem. Os espíritos das estradas do mundo não lhe trucidaram o coração temperado no aço da energia espiritual e no ouro das convicções sadias que lhe povoaram toda a existência...


CASTRO ALVES - BRASIL


BRASIL
Brasil, o Mundo a escutar-te,
Pergunta hoje: “O que é?”
Ah! Terra de minha vida,
Responde às Nações de pé!
Das montanhas altaneiras,
Dentro das próprias fronteiras,
Alonga os braços - Sansão!
Sem prepotência ou vanglória,
Grava no livro da História,
Novo rumo à evolução!

O Velho Pedreiro

Um velho pedreiro que construía casas estava pronto para se aposentar.

Ele informou o chefe, do seu desejo de se aposentar e passar mais tempo com sua família. Ele ainda disse que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.

A empresa não seria muito afetada pela saída do pedreiro mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário partindo e ele pediu ao pedreiro para trabalhar em mais um projeto como um favor. O pedreiro não gostou mas acabou concordando.

Foi fácil ver que ele não estava entusiasmado com a idéia. Assim ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados.

Foi uma maneira negativa dele terminar a carreira. Quando o pedreiro acabou, o chefe veio fazer a inspeção da casa construída.

Depois deu a chave da casa ao pedreiro e disse:

"Esta é a sua casa. Ela é o meu presente para você".

O pedreiro ficou muito surpreendido.

Que pena! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito tudo diferente....

O mesmo acontece conosco. Nós construímos nossa vida, um dia de cada vez e muitas vezes fazendo menos que o melhor possível na sua construção...


FATOS PITORESCOS DE CHICO XAVIER



CHICO E O VOLKS - UMA TRANSAÇÃO QUE JESUS TAMBÉM FARIA

Certa manhã fria de outubro de 1971, o médium Francisco Cândido Xavier surpreendeu-se ao ver estacionado em frente à porta de sua casa um possante caminhão.

Dentro de sua carroceria, um “fuscão”, último modelo, de luxo, zero quilômetro. E mais admirado ficou ainda quando o motorista começou a descarregá-lo! Finda a operação, o homem perguntou-lhe se conhecia e se sabia se Chico Xavier se encontrava em casa. Sou eu mesmo, respondeu-lhe timidamente. Sem mais indagar, o interlocutor informou-lhe o motivo de sua presença:

“Pois aqui estão os documentos e as chaves do carro. Uma empresa de transportes pagou-me para trazê-lo e entregá-lo ao senhor, foi um industrial de São Paulo quem mandou, mas não sei o seu nome. Não adianta me perguntar”.

E se foi.

CORRENTE DE ORAÇÕES PELO JAPÃO


"Se desejarmos que uma mensagem de amor seja ouvida, ela tem que ser enviada."
(Madre Teresa)



Passada a pior fase dos acontecimentos que abalaram o Japão, a vida das pessoas volta aos poucos ao normal; a mídia pára de mostrar imagens a todo instante e as pessoas começam a esquecer a tragédia que atingiu esse povo tão querido a nós brasileiros, acolhido em nosso seio há mais de cem anos, assim como todo aquele que aqui chega procurando trabalho ou fugindo das guerras que a todo instante assola alguma parte do Mundo.

Todos se preocupam com os mortos, mas os mortos não precisam de nós, mas apenas de nossas orações. Os que desencarnaram na tragédia estão sendo acolhidos pelos Benfeitores Espirituais, foram amparados e encaminhados às diversas instituições que existem sobre o Planeta Terra.

E quanto aos vivos?

É nos VIVOS que precisamos pensar...

E é por eles que precisamos ORAR, para que tenham forças para suportar todas as dificuldades que terão pela frente.

Pensemos naqueles que escaparam dessa tragédia e que terão de reconstruir suas vidas do ZERO e que estão passando por muitas necessidades: fome, frio, falta de água, moradia...

Por um pequeno instante, tentemos nos colocar no lugar deles e pensemos em como nos sentiríamos se estivéssemos na mesma situação, pois também não estamos imunes a catástrofes, como demonstrou a tragédia da região serrana do Rio de Janeiro, no início deste ano de 2011.

Nesse momento, os VIVOS são os que mais necessitam de nossas orações.

Não podemos nos esquecer que a tragédia pessoal de cada um deles continua a cada dia, a cada hora, a cada minuto.

Vamos nos unir em correntes de oração pelo povo do Japão, até que as coisas voltem ao normal, de verdade...

A SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES

*Parábola contada pelo espírito Joanna de Ângelis a Divaldo Franco
Em 1962, Divaldo passou por uma grande provação, ficando vários dias sem condições de conciliar o sono, hora nenhuma, o que lhe trouxera constante dor de cabeça. Numa ocasião, não suportando mais, quando Joanna lhe apareceu, ele lhe falou:
– Minha irmã, a senhora sabe que eu estou passando por um grande problema, uma grande injustiça, e não me diz nada?
– Por isso mesmo eu não te digo nada, porque é uma injustiça. E como é uma injustiça, não tem valor, Divaldo. Tu é quem está dando valor e quem dá valor à mentira, deve sofrer o efeito da mentira. Por que, se tu sabes que não é verdade, por que estás sofrendo? Eu não já escrevi por tuas mãos: “Não valorizes o mal”? Não tenho outro conselho a dar-te.
– Mas, minha irmã, pelo menos me diga umas palavras de conforto moral, porque eu não tenho a quem pedir...

ELES VIVEM!



Ante os que partiram, precedendo-te na Grande Mudança, não permitas que o desespero te ensombre o coração.

Eles não morreram.

Estão vivos.

Compartilham-te as aflições, quando te lastimas sem consolo.

Inquietam-se com a tua rendição aos desafios da angústia quando te afaste da confiança em Deus.

Eles sabem igualmente quanto dói a separação.

Conhecem o pranto da despedida e te recordam as mãos trementes no adeus, conservando na acústica do espírito as palavras que pronunciaste, quando não mais conseguiam responder às interpelações que articulaste no auge da amargura.

Não admitas estejam eles indiferentes ao teu caminho ou à tua dor.

Eles percebem quanto te custa a readaptação ao mundo e à existência terrestre sem eles e quase sempre se transformam em cirineus de ternura incessante, amparando-te o trabalho de renovação ou enxugando-te as lágrimas quando tateias a lousa ou lhes enfeitas a memória perguntando porque....

Pensa neles com saudade convertida em oração.

As tuas preces de amor representam acordes de esperança e devotamento, despertando-os para visões mais altas da vida.

Quando puderes, realiza por eles as tarefas em que estimariam prosseguir e te-los-ás contigo por infatigáveis zeladores de teus dias.

Se muitos deles são teu refúgio e inspiração nas atividades a que te prendes no mundo, para muitos outros deles és o apoio e o incentivo para a elevação que se lhes faz necessária.

Quando te disponhas a buscar os entes queridos domiciliados no Mais Além, não te detenhas na terra que lhes resguarda as últimas relíquias da experiência no plano material...

Contempla os céus em que mundos inumeráveis nos falam da união sem adeus e ouvirás a voz deles no próprio coração, a dizer-te que não caminharam na direção da noite, mas sim ao encontro de Novo Despertar.

Emmanuel

CASTRO ALVES - Luz e treva


LUZ E TREVA

I
Foi Jesus Cristo quem disse
Sob a inspiração de Deus:
“Vai, Allan Kardec, à Terra
E fala aos rebanhos meus.

Tira o povo da heresia!
A minha Doutrina amplia!
Cumpre a antiga profecia
Que fiz perante aos judeus!

Como na dura Judéia
Não temas tua missão:
O Espírito Verdade,
-Eis teu Anjo Guardião!

Aumenta as glórias no Céu!
Conquista mais um troféu!
Destrói na Terra esse véu,
Que esconde o Sol da Razão!

E o Apóstolo dileto
Despediu-se de Jesus,
E como um condor fantástico
-Mais veloz que a própria luz-

Ao lado de outros heróis,
Como ele mesmo – faróis!
Passou por milhões de sóis,
- E em Lyon viu sua cruz!

As Mães de Chico Xavier - Trailler Oficial


 Mais um filme espírita chega às telas do cinema brasileiro neste mês. O longa-metragem As Mães de Chico Xavier vem para finalizar as comemorações ao centenário do médium, completado em 2010. De acordo com o produtor do filme, Luis Eduardo Girão, os filmes chamados “transcendentais” não são uma onda, como têm sido categorizados, mas sim um novo gênero.

Tudo começou, segundo ele, com Bezerra de Menezes - O Diário de um Espírito, que levou meio milhão de pessoas aos cinemas. Depois veio Chico Xavier, com dois milhões, e Nosso Lar, com quatro milhões de espectadores.

“Nenhum desses filmes veio com o objetivo de doutrinar. Foram feitos para levar uma cultura de paz para as pessoas, mensagem de fraternidade, esperança e tolerância. Esse filme se comunica bem com todas as pessoas”, declara.

Inspirado na obra Por Trás do Véu de Ísis, do jornalista Marcelo Souto Maior (biógrafo que também abasteceu o roteiro de Chico Xavier), o filme narra a história de três mães que veem suas vidas mudarem repentinamente. “Foram oito meses de pesquisa e dezenas de famílias catalogadas. Apenas três foram escolhidas para terem suas histórias contadas no filme, porque falam de assuntos que ainda acontecem, como aborto, drogas e violência urbana”, detalha.

Luis garante que o filme faz com que as pessoas sintam-se bem, embora aborde temas polêmicos. “As pessoas saem da sala do cinema querendo valorizar suas relações familiares, viver o agora”. Ao final foram cinco semanas de filmagens com 90% da cenas gravadas no Ceará. Os outros 10% foram feitas na cidade natal de Chico, Pedro Leopoldo (MG).

Em Brasília, o filme abrirá o I Festival de Cinema Transcendental. “Para nós é uma grande conquista. O filme tem potencial. Tem tudo para consolidar o novo gênero”, diz o produtor, que realizou exibições teste e notou boa aceitação do público.

Autora da matéria: Larissa Santiago







Fonte: Revista Cristã de Espiritismo

Veja também:
Trailler - As mães de Chico Xavier

Folha Online

Cinemark

Blog Oficial do Filme
"Muitas vezes o povo é egocêntrico, ilógico e insensato.
Perdoe-o assim mesmo.

Se você é gentil, o povo pode acusá-lo de egoísta e interesseiro.
Seja gentil assim mesmo.

Se você for um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.
Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco, o povo pode enganá-lo,
Seja honesto e franco assim mesmo.

O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra,
Construa assim mesmo.

Se você tem paz e é feliz, o povo pode esquece-lo amanhã.
Faça o bem assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.
Dê o melhor de você assim mesmo.

Veja você que, no fim das contas, é entre você e Deus.
Nunca foi entre você e o povo."

Madre Tereza de Calcutá

Problemas pessoais

"No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo".
- João: 16-33.

Os teus são problemas iguais aos de todas as pessoas. Por mais te creias infeliz, há outros que jazem em grabatos de maiores dores ou que estão encurralados em sombras mais espessas.

Mesmo que teimes em ignorar, desfilam ao teu lado na passarela da ilusão os campeões do infortúnio  e brilham nas disputas sociais os ases do sofrimento sob cargas de desespero que não suportarias.

Os teus são os problemas do quotidiano, que todos experimentam, mas que se avolumam e agravam por leviandade ou rebeldia da tua parte.

Não desconheces que o renascimento é condição impostergável e que ele é exigido a todos os Espíritos endividados para benefício deles mesmos. Ao revés de punição é precioso auxílio que lhes faculta liberação dos pesados débitos contraídos nos dias da ignorância.

Nenhum de nós tem estado isento de ressarcir... Trânsfugas da reta conduta, somos o que  merecemos. A exceção única é Jesus, nosso Modelo e Guia. Mesmo assim, Ele enfrentou problemas sobre problemas até o triunfo na Ressurreição...

O Juízo Final


Ora, quando o Filho do homem vier em sua majestade, acompanhado de todos os anjos, assentar-se-á no trono de sua glória; — e, reunidas à sua frente todas as nações, ele separará uns dos outros, como um pastor separa dos bodes as ovelhas, e colocará à sua direita as ovelhas e à sua esquerda os bodes. — Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do reino que vos foi preparado desde o princípio do mundo [...]. 

(Mateus, 25:31 a 46. — O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XV.)

***

Tendo que reinar na Terra o bem, necessário é sejam dela excluídos os Espíritos endurecidos no mal e que possam acarretar-lhe perturbações. Deus permitiu que eles aí permanecessem o tempo de que precisavam para se melhorarem; mas, chegado o momento em que, pelo progresso moral de seus habitantes, o globo terráqueo tem de ascender na hierarquia dos mundos, interdito será ele, como morada, a encarnados e desencarnados que não hajam aproveitado os ensinamentos que uns e outros se achavam em condições de aí receber. Serão exilados para mundos inferiores, como o foram outrora para a Terra os da raça adâmica, vindo substituí-los Espíritos melhores. Essa separação, a que Jesus presidirá, é que se acha figurada por estas palavras sobre o juízo final: “Os bons passarão à minha direita e os maus à minha esquerda”...

ALGUÉM INESQUECÍVEL



Ele não era engenheiro e construiu um mundo novo para o reino da paz entre os homens.

Não era filósofo e lançou as mais claras elucidações sobre a vida.

Não era médico e, pela influência do amor, sanou as doenças e perturbações dos enfermos.

Não era juiz e pronunciou sentenças em problemas difíceis, com sabedoria Superior à de Salomão.

Não era advogado e chamou a si a defesa dos caídos e dos fracos, dos perseguidos e infelizes.

Não era legislador e instituiu princípios imortais, sobre fraternidade e perdão.

Não era astrônomo e sem qualquer telescópio, afirmou que o Universo de Deus tem muitas moradas.

Não era Ministro religioso e foi o criador da caridade, através da história do Bom Samaritano.

Não era agricultor e deu especial destaque à semente de mostarda para demonstrar a forca da fé.

Sem armas, ganhou o coração humano no qual passou a morar para sempre.

Estes são alguns traços do grande conquistador que excedeu, em poder, aos exércitos de Ramsés e Alexandre, Alarico e Napoleão.

Nunca esnobou autoridade e nem se fazia anunciar por batedores e fanfarras.

Transformado, porém, em guia dos povos e luz das nações, ele é cada vez mais conhecido, em toda parte, pelo simples nome de Jesus Cristo.

Fonte: Livro “Presença de Luz”, Espírito Augusto Cezar, Psicografia de Chico Xavier

Oração Nossa



Senhor, ensina-nos a orar, sem esquecer o trabalho.
A dar, sem olhar a quem.
A servir, sem perguntar até quando...

A sofrer, sem magoar, seja quem for.
A progredir, sem perder a simplicidade.
A semear o bem, sem pensar nos resultados...

A desculpar, sem condições.
A marchar para frente, sem contar os obstáculos.
A ver sem malícia...

A escutar, sem corromper os assuntos.
A falar, sem ferir.
A compreender o próximo, sem exigir entendimento...

A respeitar os semelhantes, sem reclamar consideração.
A dar o melhor de nós, além da execução do próprio dever, sem cobrar taxas de reconhecimento...

Senhor, fortalece em nós, a paciência para com as dificuldades dos outros, assim como precisamos da paciência dos outros, para com as nossas próprias dificuldades...

Ajuda-nos para que a ninguém façamos aquilo que não desejamos para nós...

Auxilia-nos, sobretudo, a reconhecer que a nossa felicidade mais alta será, invariavelmente, aquela de cumprir seus desígnios onde e como queiras, hoje, agora e sempre.

Emmanuel

Ouça esta mensagem no player abaixo:

Espiritualidade em cena da novela "Araguaia", da Rede Globo.



Linda cena do capítulo exibido no dia 16 de março de 2011, onde uma menina índia órfã vê o espírito do palhaço Estripulia. A cena mostra o espírito se despedindo dela, da filha e do neto.

JESUS É A LUZ

A luz que há no mundo, ilumina nosso ser,
Que muita vez não sabemos ser;
Luz que não nos deixa
Nas trevas adormecer.

Que luz é essa que reluz e conduz,
Que ampara os aflitos,
Os cansados e oprimidos?

Luz que ilumina a todos sem exclusão;
Puros, impuros, simples ou não.
Quando algum ser cai em apuro,
Já está seguro, apoiado em boas mãos.

Os vícios, os desejos materiais,
Turvam-nos a visão;
Nos tornam limitados na prática da boa ação...

Só seremos dignos da felicidade plena,
E saberemos que tudo vale a pena,
Quando fizermos por merecer, e assim entender
Que essa Luz é o Amor de Jesus...

Autor: Luiz Mendonça

PATERNIDADE INVOLUNTÁRIA


Companheiro,

Você nos solicita algo dizer sobre a paternidade involuntária.

Comecemos por destacar a situação dos irmãos desencarnados ainda excessivamente vinculados à experiência física.

Ei-los que passam por nós ou passamos por eles.

Formam grupos que evoluem, rente aos próprios homens.

Vemo-los sem que nos vejam.

Estão dentro da nuvem formada pelos pensamentos de que se nutrem.

Emanam-se pelas vibrações que eles próprios emitem.

Cada núcleo parece uma colônia de consciências dilapidadas pelo sofrimento que criaram para si próprias.

Num plano de vida, em que as idéias tomam forma e consistência, em derredor daqueles que as arrojam de si, jazem fora da realidade, vivendo nas alucinações materializadas, agora em movimento por fora deles.

Todos, porem, acalentam o desejo de retomar o corpo que deixaram, a fim de reclamarem no mundo físico o que julgam pertencer-lhes...

Concentração Mental

Ouça a mensagem transmitida por André Luiz através de Chico Xavier, clicando no player abaixo:



Mensagem recebida pelo médium Francisco Cândico Xavier através da sua mediunidade psicofônica, no Grupo Meimei, em Pedro Leopoldo, MG.

Relato de Arnaldo Rocha sobre esta mensagem:

"Na noite de 24 de março de 1955, recolhemos, de novo, a palavra do nosso amigo espiritual André Luiz, que nos falou com respeito à concentração mental".

CASTRO ALVES - Poeta do Além


O ELO PERDIDO

Era a promessa do Cristo
Que iria cumprir-se à Terra,
Apesar do horror da guerra,
Primeiro em solo francês.

Enquanto os Céus se moviam,
Montesquieu, Robespierre,
Jacques Rousseau, D'Alembert,
Incitavam morte aos reis!

Em seguida Bonaparte,
Na Espanha, Portugal, Prússia,
Alemanha, Itália, Rússia,
A explodir os seus canhões!

Fizera-se ditador.
Ao invés de "Fraternidade,
Liberdade e Igualdade",
Impunha ódio e aflições!

Destruição necessária e destruição abusiva


Diante das tragédias coletivas, é comum haver questionamentos sobre o porquê desses acontecimentos, como a que ocorreu na manhã desta sexta-feira, 11, no Japão; as inúmeras enchentes no Brasil e tantas outras que vêem acontecendo em todo o mundo. De repente, famílias inteiras se deparam com uma nova e triste realidade. Algumas pessoas conseguem manter o equilíbrio, apesar da dor e tentam recuperar suas vidas, com o máximo possível de dignidade, outras se revoltam e se entregam às calamidades, outras ainda, se esquecem da própria dor e se dedicam no auxílio ao próximo.

Porém, como podemos compreender esses fatos avassaladores? Como é possível tirar algum aprendizado de situações trágicas, de grande comoção?

Vejamos o que O Livro dos Espíritos nos diz a respeito...
 

728. A destruição é uma lei natural?

– É preciso que tudo se destrua para renascer e se regenerar. O que chamais destruição é apenas transformação que tem por objetivo a renovação e o melhoramento dos seres vivos.

728-a. O instinto de destruição teria sido dado aos seres vivos por desígnios providenciais?

– As criaturas são os instrumentos de que Deus se serve para atingir os seus objetivos. Para se alimentarem, os seres vivos se destroem entre si com um duplo objetivo: manter o equilíbrio na reprodução, que poderia tornar-se excessiva, e melhor utilização dos restos do corpo. Mas somente o corpo é destruído, porque é apenas o acessório, e não a parte essencial. O princípio inteligente é indestrutível e se elabora nas diferentes metamorfoses que sofre.

Congresso Espírita FEESP 2011

TEMA: 

"O ensino espírita e a sua responsabilidade na Transição Planetária".


DATA: 08-09-10 de julho de 2011


PALESTRANTES


  33 convidados de todo o Brasil, dentre os quais: 

Afonso Moreira Júnior, Américo Marcos Canhoto, Renato Costa, Vitor Ronaldo Costa, Roberto Vilmar Quaresma, Edelso da Silva Júnior, Orson Peter Carrara, Quito Formiga, Umberto Fabbri, dentre outros.


O congresso teve a presença de Divaldo Pereira Franco, que proferiu a palestra de abertura.


* Foi editado um livro, lançado na abertura do congresso, escrito em conjunto pelos expositores, a respeito dos temas que os mesmos abordaram em suas palestras.


CLIQUE NAS FIGURAS ABAIXO E VEJA QUAL FOI A PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO:


SEXTA
SÁBADO
DOMINGO


DESENCARNAÇÃO DE FAVOR


O rapaz desencarnado entrou na fila das reclamações no departamento adequando a isso e, com rigorosa disciplina, seguiu a longa composição de companheiros.

Chegada a sua vez, indagou no mentor de plantão:

- Pode dizer-me, por obséquio, se o senhor tem a ficha referente ao meu caso?

O amigo respondeu afirmativamente.

- Conseguiria informar-me prosseguiu o moço – se havia possibilidade de sobrevivência no corpo físico, para mim, já que eu, decididamente, não queria a desencarnação?

O interpelado consultou um pergaminho, analisando-lhe figuras e falou:

- Sim, havia... Você poderia ficar em casa, por mais tempo, mas diversas vezes autoridades da Vida Superior lhe solicitaram o desligamento definitivo do veículo terrestre, em seu próprio beneficio, considerando os seus méritos de jovem correto e cristão.

Nesse ponto o diálogo, o meninão se destrambelhou:

- 0 senhor concordará comigo que foi contra-senso. Por que requisitaram para min aquilo que não pedi a ninguém? Qual a razão de me abreviarem o tempo no mundo? Tenho lá família que adoro, amigos que estimo e muitos ideais pra realizar...

Anotando-me o destempero, o mentor esclareceu:

O pedido, em seu auxilio, chegou aqui, depois de dez minutos após a sua longa primeira parada cardíaca que lhe comprometeu gravemente o campo cerebral.

- Isso é uma agressão! Imaginam que aqui seja a terra? O mundo está beneficiado por excelente medicina. Creio que me cassaram o direito de tentar a própria recuperação. Isso e um absurdo. O senhor não pode ser mais explícito?

- Meu rapaz, infelizmente, não posso. Noto, porém, que você será esclarecido, oportunamente.

Abraço de Deus

É uma avó quem conta que, certo dia, sua filha lhe telefonou do Pronto-Socorro. Sua neta, Robin, de apenas seis anos, tinha caído de um brinquedo, no pátio da escola, e havia ferido gravemente a boca.

A avó foi buscar as irmãs de Robin na escola e passou uma tarde agitada e muito tensa, cuidando das crianças, enquanto aguardava que a filha retornasse com a menina machucada.

Quando finalmente chegaram, as irmãs menores de Robin correram para os braços da mãe. Robin entrou silenciosa na casa e foi se sentar na grande poltrona da sala de estar.

O médico havia suturado a boca da menina com oito pontos internos e seis externos. O rosto estava inchado, a fisionomia estava modificada e os fios dos cabelos compridos estavam grudados com sangue seco.

A garotinha parecia frágil e desamparada. A avó se aproximou dela com o máximo cuidado. Conhecia a neta, sempre tímida e reservada.

“Você deseja alguma coisa, querida?”, perguntou.

Os olhos da menina fitaram a avó firmemente e ela respondeu:

“Quero um abraço.”

Oração e humildade.

*** Acompanhe a mensagem em áudio, no final do texto


"Meu Deus, sei que ainda sou um ser em evolução e que muitas vezes fujo dos objetivos que o Senhor traçou para que eu alcance a minha felicidade.
Sei também que nem sempre consigo fazer o bem que desejo, e muitas são as vezes que faço o mal que já não gostaria mais de fazer.
Por isso venho a ti, Senhor, para rogar forças, coragem e lucidez para acertar mais vezes do que me equivocar, e quando me equivocar, que seja por fraqueza ou ignorância, mas nunca por deliberação.
Venho a ti para pedir que não permitas, em tempo algum, que eu perca a vontade de viver, apesar dos momentos de dor e de sofrimento, que por certo terei que passar...

Mensagens do Além


“Mensagens do Além? Para quem são?”

Esta é a pergunta que você nos faz com a tranqüilidade dos que ignoram o sofrimento humano.

E respondemos que semelhantes comunicados transitam hoje em todos os distritos do mundo, com endereço exato e no momento certo.

Não sei se você conhece as mães atormentadas pela saudade dos filhos que a morte lhes arrebatou ao carinho, notadamente quando apenas começavam a viver; se já viu os pais amorosos tateando as cruzes que marcam as derradeiras lembranças dos rebentos queridos que viajaram para o Mais Além, através das fronteiras de cinza; pensou-se, algum dia, no pranto das viúvas, relegadas à solidão, ante a partida compulsória dos companheiros transferidos para outros domínios da existência; se alguma vez refletiu na dor dos homens que apertaram as mãos desfalecentes de esposas inesquecíveis que eles, em vão, quiseram arrancar ao poder do silêncio que lhes cerrou os olhos para o mundo; se, em algum tempo, meditou, angústia dos jovens que inutilmente procuram algum traço dos entes que amavam, muitas vezes alimentando o desespero que lhes abre caminho para o suicídio; ou se já terá visto, em algum lugar, os portadores de enfermidades consideradas irreversíveis, que atravessam os dias, entre a inquietação; e o desalento...

Se você tomou conhecimento de todos esses heróis das lagrimas, defrontados quase sempre, por sofrimentos e humilhações, então você já consegue saber para quem são as mensagens de quantos residem no Mais Além, e, decerto, nada mais precisará perguntar.

Fonte: Chico Xavier, livro Presença de Luz, ditado pelo Espírito Augusto Cezar.

Fraternidade dos Discípulos de Jesus


Razin, um mercador que passava por Jerusalém no momento em que Jesus subia ao Calvário, impressionado com a figura do Cristo, acompanhou-o, assistindo à sua crucificação. A serenidade e o amor que se irradiavam do Sacrificado tocaram a sensibilidade do mercador, que, então, procurou conhecer a Doutrina Redentora.

Procurou os discípulos, conversou com Maria de Nazaré, com Madalena e com quantos tiveram a oportunidade de receber as palavras do Mestre.

Homem de negócios, Razin verificou, de pronto, que só uma organização poderia fazer com que prevalecessem os sábios ensinamentos.

Voltando às suas viagens, não deixou que se perdesse a oportunidade de mostrar o que havia aprendido.

Quando retornou ao Plano Espiritual, deparou-se com o Mestre que lhe ofereceu um Trevo, para que, através dele, fossem reconhecidos todos aqueles que, seguindo as suas experiências, se prontificassem a servir nas hostes do Bem.

Chamado a trabalhar na recuperação vibratória do Planeta, apresentou-se ao Comandante Armond, oferecendo o seu conhecimento na organização e direção da Casa.

E, enquanto na parte da organização material o Comandante Edgard Armond reunia companheiros de escol, para formar o Conselho Deliberativo, na parte espiritual foi inspirado para fundar a Escola de Aprendizes do Evangelho, a fim de preparar, na Terra, os novos discípulos que testemunhassem, através do estudo e do trabalho, a firmeza, assiduidade e amor ao próximo, podendo, dessa maneira, tornar-se membros de uma nova Fraternidade que seria iniciada entre os encarnados que se dispusessem a agir como verdadeiros discípulos de Jesus.

A Fraternidade do Trevo, sob a direção espiritual de Razin, é composta, atualmente, de vinte mil trabalhadores, e tem a tarefa de orientá-los para a organização das Casas Cristãs.

Autora do texto: Martha G. Thomaz

Fonte: Comunidade Espírita

Os bastidores da Transição Planetária...



trecho do livro “Transição Planetária”, novo livro psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco


[...] – Estarão reencarnando-se elevados Espíritos da filosofia e da arte, da religião e da política do passado, considerados pais dessas doutrinas, a fim de poderem reformular, atualizar e conduzir às origens do ideal, dos quais seus postulados foram afastados, facilitando a transição da sociedade em outros segmentos de que se constitui.

[...] – Estamos no limiar do glorioso momento anunciado pelo Senhor desde quando esteve conosco e confirmado pelos Seus mensageiros de todos os tempos, que aguardam essa hora para a construção definitiva do Reino de Deus em todos os corações.

[...] Silenciando, por um pouco, o amigo e benfeitor (Dr. Silvio*) levantou a cabeça na direção do zimbório coruscante e referiu-se aos fascículos de luz que desciam com relativa velocidade na direção do orbe, iluminando mais a noite deliciosa.

– Eles estão chegando, recepcionados por incontáveis trabalhadores da seara do Mestre, localizando-os nos lares em que deverão renascer...

[...] Dr. Sílvio convidou-nos a visitar um bairro periférico, naquela mesma cidade, onde o sofrimento mais se expressava em forma de miséria socioeconômica.

Caminhamos entre os casebres miseráveis com os esgotos a céu aberto, os animais domésticos rompiam sacos plásticos de lixo, em busca de alimento, atraindo vorazes ratazanas que também, vez que outra, atacavam as crianças adormecidas no solo em tábuas desnudas e infectas.

Adentramo-nos em um desses lúgubres redutos, e notei que, de uma humílima construção, exteriorizava-se uma suave claridade...

SOBRE O CARNAVAL

Nenhum espírito equilibrado em face do bom senso, que deve presidir a existência das criaturas, pode fazer a apologia da loucura generalizada que adormece as consciências, nas festas carnavalescas.

É lamentável que, na época atual, quando conhecimentos novos felicitam a mentalidade humana, fornecendo-lhe a chave maravilhosa dos seus elevados destinos, descerrando-lhe as belezas e os objetivos sagrados da Vida, se verifiquem excessos dessa natureza entre as sociedades que se pavoneiam com o título de civilização.

Enquanto os trabalhos e as dores abençoadas, geralmente incompreendidos pelos homens, lhes burilam o caráter e os sentimentos, prodigalizando-lhes os benefícios inapreciáveis do progresso espiritual, a licenciosidade desses dias prejudiciais opera, nas almas indecisas e necessitadas do amparo moral dos outros espíritos mais esclarecidos, a revivescência de animalidades que só os longos aprendizados fazem desaparecer.

Há nesses momentos de indisciplina sentimental o largo acesso das forças das trevas nos corações e, às vezes, toda uma existência não basta para realizar os reparos precisos de uma hora de insânia e de esquecimento do dever.

Enquanto há miseráveis que estendem as mãos súplices, cheios de necessidade e de fome, sobram as fartas contribuições para que os salões se enfeitem e se intensifiquem o olvido de obrigações sagradas por parte das almas cuja evolução depende do cumprimento austero dos deveres sociais e divinos.

Ação altamente meritória seria a de empregar todas as verbas consumidas em semelhantes festejos, na assistência social aos necessitados de um pão e de um carinho.

Ao lado dos mascarados da pseudo-alegria, passam os leprosos, os cegos, as crianças abandonadas, as mães aflitas e sofredoras. Por que protelar essa ação necessária das forças conjuntas dos que se preocupam com os problemas nobres da vida, a fim de que se transforme o supérfluo na migalha abençoada de pão e de carinho que será a esperança dos que choram e sofrem? Que os nossos irmãos espíritas compreendam semelhantes objetivos de nossas despretenciosas opiniões, colaborando conosco, dentro das suas possibilidades, para que possamos reconstruir e reedificar os costumes para o bem de todas as almas.

É incontestável que a sociedade pode, com o seu livre-arbítrio coletivo, exibir superfluidades e luxos nababescos, mas, enquanto houver um mendigo abandonado junto de seu fastígio e de sua grandeza, ela só poderá fornecer com isso um eloqüente atestado de sua miséria moral.
Emmanuel (espírito)

Psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier em julho de 1939.

DIVINO CONCERTO

Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos.

Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos.

As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do Universo.

Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor! Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus.
O Espírito de Verdade
 
in: Allan Kardec, Prefácio de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Obrigado, Senhor!


Há um século, convidaste Allan Kardec, o apóstolo de teus princípios, à revisão dos ensinamentos e das promessas que dirigiste ao povo, no Sermão da Montanha, e deste-nos “O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO”.

Desejavas que o teu verbo, como outrora, se convertesse em pão de alegria para os filhos da Terra e chamaste-nos à caridade e à fé, para que se nos purificassem as esperanças nas fontes vivas do sentimento.

Mensagens de paz e renovação clarearam o mundo! Diante das tuas verdades que se desentranharam da letra, abandonamos os redutos de sombra a que nos recolhíamos, magnetizados por nossas próprias ilusões, e ouvimos-te, de novo, a palavra solar da vida eterna! Agradecemos-te esse livro, em que nos induzes à fraternidade e ao trabalho, à compreensão e à tolerância, arrebatando-nos à infligência das trevas, pela certeza de tuas perenes consolações.

Obrigado, Senhor, não somente por nós, que devemos a essas páginas as mais belas aspirações, nas tarefas do Cristianismo Redivivo, mas também por aqueles que as transfigurariam em bússola salvadora, nos labirintos da obsessão e da delinqüência; pelos que as abraçaram, quais âncoras de apoio, em caliginosas noites de tentação e desespero; por aqueles que, as consultaram, nos dias de aflição e desalento aceitando-lhes as diretrizes seguras nas veredas da provação regenerativa; pelos que as transformaram, em bálsamo de conforto e paciência, nos momentos de angústia; pelos que ouviram, junto delas, o teu pedido de oração e de amor a bem dos inimigos, esquecendo as afrontas que lhes retalharam os corações; pelos que as apertaram de encontro ao peito, para não tombarem asfixiados pelo pranto da saudade e da desolação à frente da morte; e por todos aqueles outros que aprenderam com elas a viver e confiar servir e desencarnar, bendizendo-te o nome!

Oh! Jesus! No luminoso centenário de “O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO”, em vão tentamos articular, diante de ti, a nossa gratidão jubilosa!...

Permite, pois, agradeçamos em prece a tua abnegação tutelar e, enlevados ante o Livro Sublime, que te revive a presença entre nós, deixa que te possamos repetir, humildes e reverentes: Obrigado, Senhor!...

Emmanuel

Fonte: Emmanuel, psicografado por Chico Xavier, LIVRO DA ESPERANÇA, Publicado em 1964 pela CEC - Comunidade Espírita Cristã, Uberaba/MG

Tristeza perturbadora


Conquanto brilhe o sol da oportunidade feliz, abrindo campo para a ação e para a paz, a sombra teimosa da tristeza envolve-te em injustificável depressão.

Gostarias de arrancar das carnes da alma este espinho cravado que te faz sofrer, e, por não o conseguires, deixas-te abater.

Conjecturas a respeito da alegria, do corpo jovem, dos prazeres convidativos, e lamentas não poder fruir tudo quanto anelas.

A tristeza, porém, é doença que, agasalhada, piora o quadro de qualquer aflição.

A sua sombra densa altera o contorno dos fatos e das coisas, apresentando fantasmas onde existe vida e desencanto no lugar em que está a esperança.

Ela responde pela instalação de males sutis que terminam por desequilibrar o organismo físico e a maquinaria emocional...